terça-feira, 12 de maio de 2009

Lamento, mas estás errado.

Não, não sou daquelas pessoas que "só dá valor ao que tem depois de o perder". Sei bem o que tinha. Sempre soube, e sempre lhe dei valor. Mas não estava (nem nunca estarei) disposta a mudar. Há-de haver alguém que me queira exactamente como sou. Se não houver, tenho sempre a família e os amigos.